• EUR
  • EN

Event

28 Sep

Encontros com Pequenos Produtores (EPP)

Prova Gratuita — Loja da Conceição, 16h. às 18h

Na Garrafeira Nacional, onde não faltam referências conhecidas por todos, acreditamos que também existe espaço para os produtores mais pequenos e porque privilegiamos o estreito contacto dos nossos clientes com cada produtor, divulgamos os seus produtos de excelência para que estes sejam conhecidos e apreciados por um público cada vez mais exigente. Junte-se a nós neste encontro e venha provar projetos de nicho com origem no território nacional, esperamos por si na loja da Conceição!

PRODUTORES
EM PROVA

Alto do Joa

A Casa do JOA vai contar a história de Parada, das suas pessoas e tradições. Só assim se pode perceber a intensidade dos aromas do vinho Alto do JOA. A 20 kms de Bragança encontramos a Parada. Típica aldeia Transmontana cujo nome está associado a circunstâncias históricas e geográficas que sempre fizeram deste lugar um sítio de “paragem”. Talvez seja esta a razão porque aqui, na Aldeia da Parada, o tempo teima em passar devagar, sem pressa de chegar a lado nenhum. Mais do que uma adega, a Casa do JOA é também uma merecida homenagem às gentes da Parada. Gentes a que a Casa do JOA quer dar voz no corpo de um vinho que carrega a essência de todo o Amor ao Alto.


Constantino Ramos – Vinhos Verdes

Zafirah é um nome feminino de origem muçulmana que significa graciosidade. O primeiro vinho a solo de Constantino Ramos, enólogo e "braço direito" do conceituado produtor Anselmo Mendes. Com base nas antigas tradições da região, as vinhas encontram-se em Riba de Mouro e Tangil no alto do concelho de Monção — zona norte de Portugal. É um vinho artesanal com intervenções enológicas mínimas, com a produção de 1000 garrafas, rotuladas e numeradas manualmente. Um "verde tinto" com predominância de Alvarelhão, Borraçal, Pedral e Vinhão com mais de 70 anos.
O Afluente é um Alvarinho proveniente de uma vinha de Monção plantada a cerca de 250 metros da colheita de 2017 fermentado em barrica usada e estagiado nas mesmas barricas durante 9 meses ao qual se seguiu mais 9 meses de estágio em garrafa. Atrai especialmente pela contenção que revela, sem exuberâncias fáceis, delicadas notas de toranja ao lado de apontamentos de sílex. Muito sério e seco, quase sisudo, mas dotado de enorme frescura e excelente equilíbrio ácido, um Alvarinho firme e vibrante, que ainda precisa de mais alguns anos de garrafa para mostrar tudo o que vale.


Lés-a-Lés

O projecto “Lés-a-lés” nasce da vontade de um enólogo em recuperar castas antigas e estilos de vinhos quase extintos em Portugal. Um sonho de Jorge Rosa Santos que se concretiza numa colecção de vinhos exclusivos de edição limitada. “Lés-a-lés” representa mais de 10 anos de viagens a percorrer Portugal, em busca de regiões apaixonantes e castas esquecidas. Do “Medieval de Ourém” ao “Arinto de Pedra e Cal”, passando pelo “L’immigrant Sauvignon Blanc” e pelo “Sério de Síria”, cada vinho é uma viagem, cada rótulo um bilhete para a descoberta dum património esquecido.


Quinta do Couquinho

Couquinho, o vinho que no idioma local do Alto Douro significa “um local de difícil acesso”, é produzido numa quinta pertença da família Melo Trigo há mais de dois séculos. Muitas das quintas outrora pertencentes à família estão, bem como a Quinta do Couquinho, situadas no Vale da Vilariça onde as lendas e histórias locais aparecem interligadas à família. As mulheres do Douro têm tradicionalmente assumido um papel mais preponderante na gestão dos negócios familiares do que noutras zonas do país e a família Melo Trigo não é excepção. Na história da família foram por várias vezes as mulheres que estiveram ao leme e continuaram as tradições da família. Maria Adelaide Melo e Trigo, juntamente com dois dos seus irmãos, é a proprietária e a empreendedora por detrás da Quinta do Couquinho e dela partiu a decisão de tomar partido do clima excepcional do Douro para maximizar a produção de vinho e de azeite da quinta. No passado, as uvas da quinta eram vendidas às grandes casas produtoras de Vinho do Porto mas, no final da década de noventa, Maria Adelaide decidiu capitalizar na qualidade da colheita para começar a engarrafar o seu próprio vinho.


Localização
  • Loja Conceição
    Rua da Conceição 20/26
    1100-227 Lisboa - Portugal

    Seg. a Dom.: 10h00 - 21h00